Mudar as vezes é necessário!

          15/09/2011
          Comentários
          Imprimir
          Compartilhar



fonte: http://www.zitoadriano.blogspot.com/

Era uma vez, um sábio chinês e seu discípulo. Em suas andanças, avistaram um casebre de extrema pobreza onde vivia um homem, uma mulher, 3 filhos pequenos e uma vaquinha magra e cansada. Com fome e sede o sábio e o discípulo pediram abrigo e foram recebidos. O sábio perguntou como conseguiam sobreviver na pobreza e longe de tudo.

- O senhor vê aquela vaca ? - disse o homem. Dela tiramos todo o sustento. Ela nos dá leite que bebemos e transformamos em queijo e coalhada. Quando sobra, vamos à cidade e trocamos por outros alimentos. É assim que vivemos.

O sábio agradeceu e partiu com o discípulo. Nem bem fizeram a primeira curva, disse ao discípulo :

- Volte lá, pegue a vaquinha, leve-a ao precipício ali em frente e atire-a lá em baixo.

o discípulo não acreditou.

- Não posso fazer isso, mestre ! Como pode ser tão ingrato ? A vaquinha é tudo o que eles têm. Se a vaca morrer, eles morrem !

O sábio apenas respirou fundo e repetiu a ordem:

- Vá lá e empurre a vaquinha.


Indignado porém resignado, o discípulo assim fez. A vaca, previsivelmente, estatelou-se lá embaixo.

Alguns anos se passaram e o discípulo sempre com remorso. Num certo dia, moído pela culpa, abandonou o sábio e decidiu voltar àquele lugar. Queria ajudar a família, pedir desculpas. Ao fazer a curva da estrada, não acreditou no que seus olhos viram. No lugar do casebre desmazelado havia um sítio maravilhoso, com árvores, piscina, carro importando, antena parabólica. Perto da churrasqueira, adolescentes, lindos, robustos comemorando com os pais a conquista do primeiro milhão. O coração do discípulo gelou. Decerto, vencidos pela fome, foram obrigados a vender o terreno e ir embora. Devem estar mendigando na rua, pensou o discípulo.

Aproximou-se do caseiro e perguntou se ele sabia o paradeiro da família que havia morado lá.

- Claro que sei. Você está olhando para ela.


Incrédulo, o discípulo afastou o portão, deu alguns passos e reconheceu o mesmo homem de antes, só que mais forte, altivo, a mulher mais feliz e as crianças, jovens saudáveis. Espantado, dirigiu-se ao homem e disse: - Mas o que aconteceu ? Estive aqui com meu mestre alguns anos atrás e era um lugar miserável, não havia nada. O que o senhor fez para melhorar de vida em tão pouco tempo ?

O homem olhou para o discípulo, sorriu e respondeu :

- Nós tínhamos uma vaquinha, de onde tirávamos o nosso sustento. Era tudo o que possuíamos, mas um dia ela caiu no precipício e morreu. Para sobreviver, tivemos que fazer outras coisas, desenvolver habilidades que nem sabíamos que tínhamos. E foi assim, buscando novas soluções, que hoje estamos muito melhor que antes!



PARE, REFLITA E EXECUTE:

" O Espírito da Verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê nem o conhece. Mas vós o conheceis, pois habita convosco, e estará em vós. " - João 14:17

O Reino do Espírito nunca funcionará pelas leis do Reino da carne. Quando somos introduzidos nele através do novo nascimento percebemos que coisas começam a mudar dentro do nosso coração. Começamos a ser regidos por um outro código de comportamento. Nunca a igreja precisou ser tão lembrada de que não pertence a este mundo como hoje. O meio cristão está poluído. Algumas igrejas, levadas pelo enganoso desejo de agradar as massas, esqueceram-se de que estão na terra a fim de desagradar, a igreja deveria ser o completo oposto do mundo, o reflexo de um Deus Santo. Ao invés disso, a igreja de Jesus olha para o mundo em busca de estratégias para o alcance de pessoas e publicidade, mas esquecendo que o tratamento é necessário, em muitos casos esse tratamento deveria vir de dentro para fora, pois não estamos tendo gabaritos para tratá-los dentro da igreja, muitas das vezes, recebemos as pessoas dentro da casa de Deus e estamos cheios de carrapichos, daí, nasce  ou cresce uma geração sem identidade, uma igreja fraca e sem vida, pastores e cantores desejando a glória deste mundo. Apelando para o anseio de todo ser humano de sentir-se “incluído”, estas coisas levam o mundo para dentro da igreja e Deus para fora dela. O Homem carnal não somente desprezará o que não entende como também fará de tudo para acabar com isso. Sendo assim, fica claro que não há como evitar o choque, se é que verdadeiramente vamos viver de acordo com nosso chamado. A guerra é inevitável em um Universo onde Espíritos tão opostos habitam o mesmo espaço, infelizmente existem muitas pessoas fazendo "mal" em nome de Deus, você conhece alguém assim? Pessoas com costumes errônios, torcendo pelo tropeço alheio, fazendo da igreja um lazer, pregando o que não vive, enfim, mas as igrejas estão cheias desse "tipo de crente", como filhos de Deus cheios do Espírito Santo, não podemos permitir que o espírito que opera a desobediência influencie nossos corações. Na verdade, devemos lutar para chocar o mundo, brilhando com toda força a glória do nosso Senhor. Sendo amorosos, verdadeiros, puros e nunca abrindo mãos dos nossos valores, é que mostraremos a verdade do Evangelho. Não devemos aceitar que os costumes de uma sociedade nascida dos lombos de Adão influenciem a vida de uma comunidade nascida do Espírito Santo ou assistir de camarote e viver maldições passadas por não ter coragem de mudar! Entre importar uma cultura mundana, prefiro exportar uma cultura bíblica. Entre continuar nulo, prefiro viver novas experiências com Deus. Entre aceitar o sentido contrário, prefiro ficar com o sentido correto. E você? Às vezes é preciso perder para ganhar mais adiante. Precisamos exercitar nossa FÉ em Deus. Muitas vezes é preciso sair da acomodação, criar soluções e partir rumo a Terra Prometida ... mesmo que doa hoje ... amanhã a vitória virá como um bálsamo e você cantará o hino da vitória!

"É MUITO MAIS FÁCIL SE CONTAMINAR, DO QUE CONTAGIAR!"

Creia e Receba !




COMPARTILHE:     


Raphael Pablo Murilha

Phasellus facilisis convallis metus, ut imperdiet augue auctor nec. Duis at velit id augue lobortis porta. Sed varius, enim accumsan aliquam tincidunt, tortor urna vulputate quam, eget finibus urna est in augue.